quarta-feira, 25 de julho de 2007

Yaohushua

שלום לכולם - Shalom lekulam - Paz para todos !!!

Há algum tempo, eu tive uma discussão com um dos membros de uma seita perigosa que prega que o nome de Yeshua seria na verdade "Yaohushua", e que o nome de D-us seria "Yaohu". Afirmam que essa seria a pronúncia verdadeira do hebraico que eles chamam de "arcaico", afirmando também que o hebraico que conhecemos hoje é corrompido e não reflete mais a santidade do idioma dos patriarcas.

Visitei o site deles, e fiquei chocado !!! Eles ensinam "hebraico" completamente errado, trocando valores fonéticos de letras hebraicas, o que muda completamente as palavras. Afirmam que até mesmo os "sinais massoréticos", que representam as vogais eram originalmente diferentes do que conhecemos hoje. O que eles não sabem é que os sinais massoréticos, foram criados no século VIII pelos "massoretas", para que o hebraico, até então sem vogais, não perdesse sua pronúncia devido à Grande Dispersão dos judeus. Isso quer dizer que na época de Yeshua não existiam essas vogais e muito menos na época dos patriarcas, cerca de 3000 anos antes de Yeshua, então essa pronúncia que eles dizem que os sinais massoréticos têm, é na verdade enganosa. Vejamos alguns exemplos:

Qamets - O massorético "qamets" pode representar a vogal "A" longa, ou a vogal "A" curta, não havendo diferença no sinal massorético entre os dois casos. Somente pelo conhecimento da etimologia da palavra somos capazes de saber se estamos diante de um "Qamets Gadol" (qamets longo) ou de um "Qamets Qaton" (qamets curto). No caso da vogal "A" curta, o "Qamets Qaton", o som realmente pronunciado não é de "A", mas sim, de uma sonoridade entre o "A" e o "O", mais fácil de pronunciarmos se usarmos o ditongo decrescente "AO". O "Qamets Qaton" é a primeira vogal usada tanto no Nome do Criador, YAOHUH (IÁORRU), como no Nome do Messias, YAOHUSHUA (IAORRÚSHUA)

Já começam enganando aos incautos !!! O sinal massorético "qâmatz gadol" ( ָ ) , representa uma vogal longa quando tem som de "a", e tem a pronúncia mais correta como um "a" com formato de "o", mas geralmente é utilizada apenas como "a" mesmo. O caso do "qamatz qatan", que tem o mesmo formato do "qâmatz gadol" , sua pronúncia é de "o" fechado, por exemplo na palavra כָל - "kôl" - "todo", e nesse caso, é uma vogal breve.

Portanto a pronúncia "ao" é inexistente no hebraico seja com qamatz gadol ou com qamatz qatan. Quanto a ter alguma vogal no Nome do Eterno, é uma das maiores mentiras que eles já contaram, pois como já foi dito, não haviam vogais no hebraico até o século VIII e depois, quando o hebraico foi restaurado novamente, cairam novamente no desuso. Tanto que em Israel hoje não se usam mais os sinais massoréticos. Então como eles podem afirmar que o sinal massorético embaixo da primeira letra do Nome de D-us é um qamatz qatan ? Ou mesmo do nome de Yeshua ? Apenas mentiras, meus caros leitores....

O engraçado é que no rodapé da página, eles afirmam que as vogais não existiam no texto original. Se contradizem a toda hora !!! Vejam:

IMPORTANTE: Quando falamos sobre sinais massoréticos, esclarecemos que são sinais ADICIONADOS à escrita hebraica, e que não faziam parte do hebraico original. Assim, no caso do Vav Shúreq, somente o ponto na linha média é, de fato, um sinal massorético. O VAV que aparece com o ponto em sua linha média, existiria do mesmo jeito numa escrita onde os sinais massoréticos estivessem ausentes.

Como o leitor pode ver, simplesmente não há coerência em seus textos e muito menos em seu hebraico. E quando foram indagados sobre provas históricas e arqueológicas, eles dizem que essas provas simplesmente não existem e que isso é porcausa da vontade de "Yaohu", que para mim é nome de banda brasileira pop romântica dos anos 80. Segue o link da página deles para que os leitores possam ver suas sandices:

http://yaohushua.antares.com.br/hebraico01.htm


Fica o alerta para que não caiam nessa armadilha !!! O nome do Messias é Yeshua !!!

Shalom

13 comentários:

Yossef ben Yehudah disse...

Faltou dizer só que se o hebraico de hoje é corrompido, então o aramaico e o árabe também são, tamanha a semelhança entre esses 3 idiomas.

Moacir disse...

Faltou informar de forma correta qual o verdadeiro nome e a importância do nome para aqueles que creem. Rebater é uma coisa, ater para princípios puramente técnicos é outra. Acho que há um equivoco, mas o que realmente interessa é a verdadeira mensagem dos princípios de luz (vc`s deveriam saber disso).

haTalmid disse...

Shalom Moacir,

A intenção do artigo não é explicar o nome, mas sim desmascarar nomes falsos, visto que temos outros artigos que explicam o verdadeiro nome do Mashiach.

Shabat shalom

ras disse...

ola amigo,fico felíz em te-lo como professor.gostaria q me explicasse arespeito do texto de malaquias tão usado pelos pastores da universal para tirar dinheiro de seus seguidores.afinal.qual é a interpretação certa desse texto?desde ja agradeço.meu msn é:rasissamuinjamaica@hotmail.com
shalon.

Hugo Ramos disse...

A Paz Estive com um dessas pessoas Aliás Eles ficam perto de Meu trabalho mas, parei a escutar e Fico Feliz em ter Entrado e vê esse Site! PAZ! Meu mss: h2rr14@hotmail.com me add !

oxanexios disse...

OTIMO SITE.... excelente!!!

Parabens... que DEUS lhe abençoe!!

Leonardo disse...

Oi já que nao existe "ao" no hebraico entao o "qâmatz gadol" ( ָ ) no Nome do Criador ficará como figura a seguir? http://www.yahushua.com.br/img/n19.gif
Peço uma ajuda pra saber qual pronuncia correta do Nome do Criador e Pai do Messias!

mediadors disse...

de tudo isto se resume em uma coisa , só , o muito livros e estudar é enfado da carne, (eclesiastes), e sem amor , nada chegaram ao entendimento , pois a palavra mostra que "aqueles escolhidos" serão justificados pelo PAI , QUEM TENTARÁ ACUSAÇÃO CONTRA OS FILHOS , pois é o PAI QUEM OS JUSTIFICA...isto eu sei ....vcs ainda estão tratando de LEI , a graça é livre ....

Renan disse...

Pode até ser que esta seita esteja equivocada em seus conhecimentos acerca das escrituras, mas nenhum hebreu deve julgar um gentio, pois seus antepassados compartilharam do culto pagão com as nações, tanto que sua nação, restaurada recentemente, foi batizada por ISRAEL, louvando o ídolo cananeu EL. Creio que os hebreus não se orgulham disto, nem de ter em seu calendário TAMMUS e outros ídolos. NÃO JULGUE PARA QUE NÃO VENHA TAMBÉM A SER JULGADO!!!

Manassés Barreto disse...

Porque quando eu colei no Google Tradutor a saudação; שלום לכולם - Shalom lekulam - Paz para todos !!!
de yiddish para o português apareceu a expressão;Olá a todos
?

Contato disse...

Mediadors shalom,

Nesse blog já passamos desse tipo de imaturidade como Graça x Lei. Aqui a Torah é uma realidade. Yeshua mandou cumprir a Torah, incentivou o seu ensino, e advertiu os que a transgride e assim ensina aos outros.

Mas já sei, vai querer combater Yeshua com textos distorcidos do Rabino Sha'ul (Paulo), afinal já conheço essa estratégia.

Escrevi um artigo sobre isso também, se chama "Yeshua x Paulo" e está nesse mesmo blog.

Boa leitura e shalom!!!

Contato disse...

Renan,

Aqui não há julgamento, aqui há uma exposição da verdade. Diz que o hebraico como o conhecemos está corrompido? Tudo bem, mas que haja provas cabais, definitivas, históricas, testemunhais, etc.

E se ensinam que o hebraico está corrompido, é sinal que o conhecem muito bem a ponto de o julgarem dessa forma. Pois bem, se o conhecem tão bem por que fugiram tantas vezes de um simples batepapo?

Chamei até o líder dessa seita aqui no Brasil para um batepapo básico em hebraico mas ele fugiu.

Quer que eu diga mais o que?

שלום

Contato disse...

Manassés Shalom,

A expressão "shalom" em hebraico significa "paz". É usada como cumprimento religioso ou simplesmente como "oi" e "tchau". O Ídiche é um dialeto criado pelos judeus ashkenazitas que é mais ou menos uma mistura de alemão com hebraico, da mesma forma existe o ladino criado pelos sefaraditas, que mistura eapnhol, português e hebraico, e também o italki, criado pelos judeus italkitas que mistura italiano com hebraico.

Era uma forma de proteção contra perseguições nas regiões onde viviam.