sábado, 1 de dezembro de 2007

Feliz Saturnália !!!

Shalom !!!

Dezembro é um mês de festas, de compras, de presentes, em alguns países é um mês frio, para nós do Hemisfério Sul é um mês quente. No meio de tanta correria sempre existem pessoas que se preocupam com o verdadeiro significado da festa mais importante do ano em todos os países cristãos: O Natal !!! Sim, todos os cristãos consideram essa festa a mais importante de todo o seu calendário, seria o dia do nascimento de seu Cristo, o chamado "Jesus".

Todos eles tentando convencer as pessoas de que o Natal não é uma festa para consumismo desenfreado, não é uma festa para exercerem a glutonaria, mas é uma festa para praticarem o amor, o perdão, uma festa envolvida no chamado "espirito de natal", cantam músicas, recitam trechos da bíblia, enfim, fazem de tudo para que as pessoas se esqueçam do velho Papai Noel e se voltem para a verdadeira estrela da festa: O deus pagão Mitra !!!

Peraí... Mitra ?! Você está louco !!! Blasfêmia !!! O Natal é o dia do nascimento de "Jesus", o salvador da humanidade, Príncipe da Paz, etc.

Não, eu não estou louco !!! Yeshua (o verdadeiro nome de "Jesus") não nasceu em 25 de Dezembro, tampouco pediu para que alguém comemorasse seu aniversário nessa data. Yeshua comemorava as festas bíblicas.

"Mas o Natal não é uma festa bíblica ?"

Não, não é !!! As festas bíblicas são festas ordenadas pelo Eterno em Lv 23 (como o Pêssach - Páscoa, Shavuot - Pentecostes, Bikurim - Primícias, Sukot - Tabernáculos, Shabat - sábado, etc), e são festas que foram estabelecidas ao longo das escrituras como memorial de um livramento do Povo de Israel, como no caso da festa de Purim, estabelecida no Livro de Esther no capítulo 9 versos de 16 a 32; ou a festa de Chanuká, que foi a re-dedicação do Templo em Jerusalém durante o período inter-bíblico dos Macabeus (II Macabeus 10.1-8), etc.

Estas são as festas bíblicas, das quais Yeshua participava e comemorava, pois era um judeu que guardava as tradições de seu povo. Depois de sua morte, também não se tem registro bíblico da comemoração natalina, pelo contrário, vemos que os discípulos continuavam comemorando as festas bíblicas.

Mas então quando apareceu a festa do Natal ?

Bom, o primeiro testemunho direto que afirma que Yeshua teria nascido em 25 de Dezembro seria o de Sexto Júlio Africano, no ano 221. Sabe-se que em 336 a festa já era comemorada em Roma, e no século IV as igrejas ocidentais passaram a dotar o dia 25 de Dezembro para o Natal. A celebração do natal foi instituida oficialmente pelo Papa Libério, no ano de 354.

O dia 25 de Dezembro era na verdade uma data de várias festividades pagãs, as quais a igreja achou por bem "cristianizar" para atrair os pagãos ao cristianismo de forma que pudessem celebrar suas festas idólatras com cara de festa bíblica. O dia 25 de Dezembro foi adotado porque coincidia com o dia que os romanos comemoravam o nascimento do "deus Sol invencível", o solstício de inverno.

Alguns dias antes os romanos comemoravam a "saturnália", uma festa dedicada a "Saturno", que ia de 17 a 22 de Dezembro e era comemorada com grande alegria e troca de presentes, e também enfeitando árvores com máscaras. Segundo a mitologia persa, o dia 25 de Dezembro é também o dia do nascimento do deus "Mitra", o chamado "Sol da Virtude", o nascimento é comemorado de madrugada.

No século 17 essa festividade foi proibida na Inglaterra e em algumas colônias americanas devido à sua origem pagã. É incontestável a origem pagã da festa do Natal, e a questão agora não é mais a origem e o verdeiro sentido, mas sim:

"É correto alguém que se diz discípulo de Yeshua comemorar uma festa dedicada a outro deus ?"

Muitos diriam: "todos os dias foram feitos por D-us", ou "não tem problema em se consagrar algo para D-us, tornando-se assim limpo". Porém não é dessa forma que as escrituras ensinam, muito pelo contrário. Segundo o corpo de líderes da fé messiânica em Yeshua os pagãos que estavam se convertendo ao D-us de Israel deveriam observar alguns mandamentos para que fossem purificados das imundícies pagãs. São elas:

- Abster-se do que foi contaminado com ídolos;
- Abster-se da imoralidade sexual;
- Abster-se da carne de animais sufocados;
- Abster-se do sangue (violência).

Atos 15.19,20

A festa do Natal se encaixa no 1° item: coisas contaminadas com ídolos. Então, segundo as escrituras, os gentios (não-judeus) que se achegam à fé no Eterno, por meio de Yeshua haMashiach não devem comemorar o Natal, pois é uma festa pagã desde o início. Os judeus crentes em Yeshua também não deveriam ter esse tipo de problema, mas sabemos que existem muitos judeus crentes que foram assimilados por outras culturas e passam a festejar o Natal, oremos para que esses judeus retornem à Torah dada pelo Eterno e que se purifiquem dessas imundícies.

Os judeus comemoram em Dezembro a festa de Chanuká, que foi a re-dedicação do Templo ao Eterno, pois este havia sido profanado, com altares pagãos e sacrifícios de animais imundos a deuses pagãos. Esta festa surgiu no seio judaico, por um motivo judaico, e sem influência alguma do paganismo. Conta a história também de um milagre operado pelo Eterno, que multiplicou o óleo da Menorah que havia no tempo fazendo-o durar assim mais dias do que seria possível, pois não havia mais estoque de óleo para o candelabro.

Neste ano a festa terá início no por-do-sol do dia 4 de Dezembro e termina no por-do-sol do dia 12 de Dezembro. Esqueça o Natal pagão e comemore a re-dedicação do Templo, festa da qual Yeshua participou (Yochanan - João 10.22,23)

Chag Chanuká Sameach (Feliz Festa de Chanuká) !!!

2 comentários:

francisco disse...

Chaver Yosef, shalom. Fico feliz pela sua iniciativa, ao usar este meio para alertar e esclarecer acerca do paganismo existente dentro do corpo daqueles que se consideram seguidores de Yeshua. Entretanto, chamo a sua atenção para este pequeno detalhe dentro do seu texto: "Depois de sua morte, também não se tem registro..." Para quem lê, surge o pensamento de que você talvez não creia na ressurreição e ascenção do Mashiach. Considero mais apropriada a expressão: Depois da sua partida...

na Chessed do Maran Yeshua

EliYah - DF

Vi disse...

Maravilhoso!
Parabéns !
As pessoas precisam saber que o Salvador da humanidade, aquele a quem aguardamos pela segunda vez, foi,é e sempre será Judeu.yeshua deixou sua vida como um testemunho para nós.E certamente fora do judaismo não há nada nem nenhum estilo de vida que possa se comparar ou igualar ao que Yeshua viveu e praticou.
Então queridos,devemos pesquisar como viveu Esse Salvador a quem aguardamos e não nos contentarmos em esperar um salvador fabricado por satanás afim de enganar a humanidade e desviá-la de retornar (de todas as nações)para Israel