quinta-feira, 16 de abril de 2009

A Sinopse da Bíblia

Shalom,

Sempre que eu converso com alguns irmãos do meio cristão, eu fico meio decepcionado com a visão que eles tem da bíblia, sobre sua idéia, seu foco, seu conteúdo. Sempre dizem que o assunto da bíblia é "Jesus", do começo ao fim, e que tudo o que o homem precisa é a salvação. Vamos imaginar como seria a sinopse da bíblia, caso ela realmente só tratasse disso:

"Uma obra que fala do Messias e da salvação do mundo"

Acabou ? É só isso ? Um conjunto de 66 livros que só falam disso ? Vários séculos de redação, inspiração, perseguição só para falar sobre isso ? Não é que esses dois assuntos não tenham importância, mas pensar que desde o princípio a bíblia só trata de Messias e salvação é um pensamento totalmente infantil, é uma limitação de tudo o que a bíblia ensina. E as pessoas ficam magoadas e bravas quando eu digo isso, elas ficam com raiva a ponto de me atacar de forma pessoal.

Deixa eu colocar de uma forma diferente, ilustrando um pouquinho. A pessoa vivia no engano, prostituição, crimes, drogas, violência. De repente ela alcança a salvação e diz: "Puxa, legal estou livre da quela vida tenebrosa, e agora ? O que devo fazer ?" Segundo a sinopse que algumas pessoas nos apresentam da Bíblia, não há mais o que fazer, pois essa pessoa já alcançou tudo o que poderia alcançar das escrituras, que é o Messias e a salvação (que acabam sendo apenas uma coisa para essas pessoas). Bom, se não há mais nada o que fazer então posso morrer ? É isso ? Ou então vamos encontrar alguma coisa para preencher o espaço de tempo entre hoje e o dia da minha morte. Vamos tocar músicas, orar, construir igrejas e ler um pouquinho da bíblia, afinal não adianta se ler muito, visto que tudo o que eu deveria saber sobre ela eu já sei.

As pessoas acabam tornando a vida salva em um passatempo até chegar o Grande Dia. É uma verdadeira ociosidade espiritual, a qual, mesmo levada pelos missionários até os confins da África por exemplo, só é multiplicada. Então as pessoas pedem, querem curas, querem uma vida financeira estabilizada, querem uma carreira bem sucedida, etc. Mas será que realmente é só isso ? Mas peraí, e como eu me relaciono com D-us ? Tá, eu sei que é através do Messias, mas como funciona ? Bom, na igreja disseram que devemos usar o "nome de Jesus", então deve ser uma espécie de senha para me aproximar do Eterno, um tipo de mantra.

Essa é uma visão caricata do que acontece por aí. O problema é que realmente acontece!!! Será que podemos melhorar essa sinopse ? Vamos tentar:

"Uma obra que fala do Messias, da salvação da humanidade, de como o homem pode se relacionar com o D-us criador de todas as coisas e de como esse mesmo D-us ensinou os homens a viverem. O D-us que mostrou um reflexo de seu caráter através de uma aliança feita com os homens em um momento de libertação da escravidão. O D-us que ensina como os homens podem se aproximar Dele, e que corrige, através de Seu filho qualquer engano que possa haver na interpretação de Suas leis.

Uma obra que também fala de amor, da escolha de um povo para servir de exemplo para toda a humanidade. E que explica que a humanidade deve caminhar à luz que o Eterno coloca sobre esse povo. Povo esse que tem a responsabilidade de andar nos caminhos corretos, e estando sujeito à correções por parte do Eterno. As palavras contidas aqui mostram que D-us cumpre Suas promessas tanto físicas quanto espirituais, e que apesar do homem falhar com Ele, Ele nunca falha conosco. Não porque nós somos bonzinhos, ou porque cumprimos as Suas leis, apesar de tentarmos, mas sim porque mesmo Ele vendo que não conseguimos cumprir a Sua Torah com perfeição, nós estamos dando o máximo que podemos para Ele, e se tropeçarmos nalgum ponto Ele nos deu um advogado que intercederá por nós, pois conhece as nossas fraquezas e as venceu."

Acho que agora ficou um pouco melhor. Agora ilustrando como deve ser a prática dessa sinopse, os irmãos devem imaginar uma porta, e que logo atrás dessa porta existe uma escadaria muito alta. A porta é a salvação através de Yeshua, e lá no final da escada está o próprio Eterno como um Pai de braços abertos incentivando o filhinho que está aprendendo a andar a caminhar até Ele, a subir os degraus em Sua direção. Mas cada degrau representa um grau de entendimento das escrituras e de aplicação desse entendimento na vida prática da pessoa, e quanto mais a pessoa estuda as escrituras e a coloca em prática, mais perto fica do Eterno, e mais características do Eterno vão se aperfeiçoando nessa pessoa. Este é o nosso objetivo, nos aproximarmos o máximo possível do Eterno.

Que essa seja a sinopse que temos em nossos corações e em nossas mentes.

Shalom

5 comentários:

André Giovanni disse...

Louvo ao Eterno por este Blog. Estou aprendendo muito. Após 5 anos afastado da "Cristandade" pois não suportava mais as anomalias e distorções vistas na sã doutrina e já perdendo a esperança de entender a Verdade (pois na cristandade existem "muitas verdades" - cada denominação evangélica tem a sua), eu tive contato com o site Ministério Ensinando de Sião (www.ensinandodesiao.org.br) e através de pesquisas no Google cheguei até aqui tb. Literalmente estou "devorando" tudo o que leio ensinado aqui e por outros sites judaico-messiânicos. Comprei ontem o Novo Testamento Judaico e o Comentário do mesmo escrito por David Stern. Não vejo a hora de chegar para eu poder iniciar os meus estudos no contexto original das Escrituras. Fiquei muito feliz ao saber sobre as "porções", saber que em todas as congregações judaicas (messiânicas ou não) do mundo todo os MESMOS trechos bíblicos são estudados todo sábado. Diferente do que vemos aos domingos onde cada igreja cristã prega uma coisa diferente e não têm unidade alguma.
Estou pesquisando minha genealogia para saber se sou judeu, pois sempre amei Israel, desde quando me converti a Cristo e li as escrituras, eu entendi que Israel é uma peça fundamental na História e nos planos divinos. E se comprovar que sou descendente de judeus será para mim um dia de imensa felicidade, pois não serei somente "ben Noah", mas sim "ben Avraham" e feliz buscarei seguir o exemplo de nosso Salvador Yeshua e ser zeloso tb na Torah.
Obrigado meu irmão por seus esclarecimentos neste blog. Mantenha-se fiel a sã doutrina, falando sempre a verdade e ensinando a todos nós que viemos (ou estamos ainda na cristandade) o verdadeiro significado do que é seguir (e servir) ao Eterno através do Maschiach.

Shalom!!!

haTalmid disse...

Shalom André,

Seja bem vindo ao Torat Yeshua!!! Que esse espaço seja para o seu crescimento, e de todos os que buscam entender as escrituras através da perspectiva original. Devo porém alertar que não sou contra a cristandade e nem os cristãos, penso apenas que alguns devem fazer um retorno e voltar ao caminho correto, sem desviar para a esquerda ou para a direita.

Quanto à questão de ser ou não descendente de judeus, é algo que não deveria lhe preocupar, pois o Eterno não requer que ninguém seja judeu ou não. Existem mandamentos para os gentios, os quais podemos ver em Atos 15, lembrando que cada mandamento encontrado lá, tem as suas ramificações.

Continue amando Israel e propagando esse amor, pois haShem falou a Avraham que abençoaria aos que abençoassem Israel.

Chag Shavuot Sameach!!!

Laguardia disse...

Muito boa a sua explicação. O Velho e o Novo Testamentos se completam. Nosso problema é que nossa cultura é grega e a Bíblia foi escrita conforme a cultura judaíca. Portanto é necessário o conhecimento da cultura judaica para que se possa entender bem a Biblia em seu todo.

A aceitação de Cristo como nosso Salvador pessoal não significa um fim, como você bem disse.

A aceitação de Cristo é como o nascimento. Uma nova vida que começa e que exige o crescimento, o amadurecimento, passando inclusive pela adolecência espiritual.

Devemos nos lembrar que os mandamentos que vêm desde Moisés se resumem em dois. amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Isto significa que temos, como cristãos, temos muito trabalho para fazer.

Que Deus continue te inspirando e abençoando o seu trabalho.

allabatera disse...

Mais uma ótima postagem, achi! Gostaria de saber se posso publicar este estudo no meu blog "Caminhos Antigos" direcionados principalmente a cristãos.

Shlama d'Maran Yeshu'a Mshicha!

✡ ALESSANDRO MARTINS DE PAULA █✡█ אלסנדרו disse...

Olá amado, shalom u'brachá. Permita-me somente sublinhar que esta denominação "Cristão", partiu como todos já sabem, eu creio, dos gregos e romanos. "Os do Caminho", "Os Nazarenos" ou "Os Essênios" nunca se denominaram como tal. Veio de fora do contexto judaico esta denominação os chamando como Cristão. Os seguidores de Yeshua, do primeiro século não se nomeavam assim e o foco ou o tema da mensagem nunca foi a salvação, mas a chegada do "Reino do Eterno" ou a chegada do Reino dos Céus".(Vários exemplos disto na Tanach e Brit Hadashach) A partir do século 3, os romanos e gregos com as suas guerras de conquista, fome e martírio, que provocava muita morte e dor, passaram a oferecer, agora pelo império de Roma e seus concílios a "Religião da Salvação" para as pessoas. Qualquer pessoa poderia aderir a nova religião do Império, sem ter que largar de sua religião e seus costumes. Podia trazer seus deuses e culto, desde que aderisse a religião do Império de Roma e as suas obrigações. A religião cristã era a salvação para as pessoas de sua dor e martírio e ainda com a promessa; se nesta vida não conseguissem obter refrigério para suas almas, então na vida futura, o ensino da imortalidade da alma surgiu neste período. Também o império recrutava aquelas pessoas que queriam lutar pela causa do imperador, com muitas promessas de terras e títulos, mas muitos morriam nas frentes de batalha, então surgiu esta teoria para dar acalanto aos desalmados. Quando colocamos o tema Salvação como centro, colocamos o ser humano como tema central da Criação e os amados sabem que não é somente isto o intuito do Eterno. Trazer de volta toda a criação neste nosso mundo que caiu, aquela Eterna e agradável vontade do Eterno, este é o propósito desde o início que somente teremos com a chegado do "Reino do Eterno". Temos duas pessoas distintas neste contexto: Jesus Cristo prometendo Salvação aos homens e Yeshua Ha Machiach o Messias de Israel, dizendo que: é somente renegando a nossa caida e velha vontade humana e fazendo a agradável vontade do Eterno (Que está na Tanach e Brit Hadashach) que traremos de volta, toda a criação a Redenção. Com qual mensagem vamos ficar? Caloroso abraço a todos!