sexta-feira, 4 de abril de 2008

Yeshua ou Paulo ?

Shalom,

É muito comum em debates teológicos a respeito do cumprimento da Torah, os oponentes dessa visão buscarem contrariar até mesmo textos do Messias usando textos de Paulo, como se o Messias deles fosse o próprio Paulo. É muito conveniente esse tipo de atitude, afinal Paulo seria mais "bonzinho" que Yeshua, mas vamos ver o que o próprio Paulo diz de atitudes como essa:

"Pois a vosso respeito, meus irmãos, fui informado, pelos da casa de Cloe, de que há contendas entre vós. Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de HaMashiach. Acaso, HaMashiach está dividido? Foi Paulo crucificado em favor de vós ou fostes, porventura, batizados em nome de Paulo? Dou graças a YHWH porque a nenhum de vós batizei, exceto Crispo e Gaio; para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome. Batizei também a casa de Estéfanas; além destes, não me lembro se batizei algum outro."

I Coríntios 1.11-16

Segundo o próprio Paulo, esse tipo de atitude é totalmente condenável e errada, porque Paulo não é o Messias, mas sim Yeshua !!! Então o que devemos fazer com os escritos de Paulo ? Ignorá-los quando dão a impressão de contradizer a mensagem do Messias que disse que veio completar a Torah e não revogá-la ? Óbvio que não, mesmo porque Paulo nunca contradisse Yeshua, como as traduções cristãs mais comuns dão a entender.

O que devemos fazer então ? Devemos buscar harmonizar as palavras de Paulo com as palavras do Messias que estão perfeitamente harmonizadas com as palavras da Torah, a base de tudo. Yeshua disse no início do Sermão da Montanha:

"Não pensem que vim abolir a Torah ou os Profetas. Não vim abolir, mas completar. Sim, é verdade! Digo a vocês: Até que céus e terra passem, nem mesmo um yud ou um traço passará da Torah -- Não até que todas as coisas que precisam acontecer tenham acontecido. Portanto, todo o que desobedecer à menor dessas mitzvot (mandamentos) e ensinar outras pessoas a agirem da mesma forma será chamado 'menor' no Reino do Céu. Mas quem obedecer a elas e ensinar dessa forma sera chamado 'maior' no Reino do Céu!"

Mt 5.17-19

Estas são as palavras do Messias, agora vamos ver o que Paulo diz que supostamente contraria isso:

"Romanos 6:14 Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça."

Bem contraditório, não ? Se o texto realmente quisesse dizer isso, deveria ser imediatamente rejeitado porque contradiz tudo o que o Messias disse, pois o Messias incentivou o cumprimento da Torah e exortou os que ensinam o contrário. Neste caso deveríamos escolher entre Yeshua ou Paulo, sendo um a completa antítese do outro.

Se o que Paulo falou é o correto, então Yeshua não é o Messias porque ensinou o oposto. Se o que Yeshua ensinou é o certo (parece que para alguns ainda restam dúvidas), então Paulo deve ser rejeitado pelo mesmo motivo. Mas será que Paulo ensinou mesmo o contrário de Yeshua no tocante à Torah ? Vejamos uma tradução baseada no contexto original judaico:

"Porque o pecado não terá autoridade sobre vocês; pois vocês não jazem sob o legalismo, mas estão debaixo da graça."

Romanos 6.14 (grifo meu)

Então na verdade não significa que não estamos mais sujeitos à Torah, mas sim ao legalismo que pode ser resultado de uma observância sem fé e sem amor, dos mandamentos da Torah. Vou citar um exemplo típico de legalismo:

Imagine um homem que é casado, mas passa a desejar outra mulher. Ele a vê na rua, no trabalho, alimenta fantasias com ela, etc. De noite, ele mantém relações sexuais com a esposa imaginando e fantasiando estar com a outra mulher.

Tecnicamente isso não é adultério, pois o adultério consiste em chegar às vias de fato, à relação física com outra pessoa que não o seu cônjuge. Mas esse é o cumprimento da Torah que o Eterno espera ? Veja o que é ensinado pelo Messias, o que ele quis dizer quando disse que veio "completar" a Torah:

"Vocês ouviram o que foi dito aos nossos pais: 'Não adultere'. Mas eu lhes digo: O homem que até mesmo olhar para uma mulher desejando-a ardentemente já cometeu adultério com ela em seu coração."

Mt 5.27-28

A Torah manda não adulterar, o que consiste, como já foi dito acima, em relação extra-conjugal. Só que na verdade esse entendimento das escrituras é muito tosco, é muito precário e primário. Yeshua então veio ensinar o verdadeiro significado do mandamento, que é o de nem mesmo desejar outra mulher, contente-se com a sua (ou nos tempos antigos, com as suas).

O exemplo acima é um exemplo típico de legalismo, ou o que o tradutor chama de "perversão legalista da Torah". Ou seja, a pessoa busca burlar a Torah sem de fato transgredí-la, mas sem saber porém que, ao fazer isso, já transgrediu a Torah. Isso é legalismo,e é isso o que significa "debaixo da lei" e "obras da lei", porque a Torah sem o espirito santo, pode levar a esse tipo de interpretação da lei, porque "a letra mata , mas o espirito vivifica" (II Coríntios 3.6), o que significa que, o que se torna algo morto pelo legalismo, ganha vida novamente através do espirito santo.

Este foi só um pequeno exemplo de como harmonizar possíveis contradições entre Yeshua e Paulo, ou entre "lei e graça". Como esse exemplo, existem muitos outros que podem ser vistos no decorrer nas escrituras, ao buscar-se o contexto original judaico das mesmas.

2 comentários:

fluvio disse...

ACHO QUE TU FOSTE RADICAL,POIS A LEI QUE SEGUI ERA OS JUDES,ATÉ QUE SE CUMPRISSE A MORTE NOMADEIRO DA CRUZ,NOTAMOS QUE UM ASSASSINO AO LADO DE YESHUA NÃO PRECISOU BATIZAR PARA SER SALVO,MAAS APÓS A RESSURREIÇÃO É ORBIGADO A SE BATIZAREM E O PRÓPRIO YESHUA APARECEU SHAUL E DISSE QUE ELE ERA O INSTRUMENTO PARAOS GENTIOS,E FOI YESHUA QUE DITOU AS LEIS A SHUAL,ELE NÃO IMPÔS DOUTRINA NOVA. ELE MESMO DIZ SEDE MEUS IMITADORES COMO EU SOU DE YESHUA.
TÔ CERTO OU ERRADO?

Yossef ben Yehudah disse...

Fluvio, na verdade eu não quis dizer que Sha'ul de fato contraria Yeshua e que por isso deve ser rejeitado, mas sim que se por acaso isso realmente acontecesse, então sim, Sha'ul deveria ser rejeitado.

Eu quero mostrar, que sendo Yeshua superior a Sha'ul, então devemos harmonizar qualquer suposta contradição entre o que Sha'ul disse e o que Yeshua disse. Assim, devemos recorrer ao contexto judaico que é inseparável das escrituras que foram escritas por judeus praticantes do judaísmo.

Algumas pessoas escolhem na bíblia o que lhes é mais conveniente, por exemplo: Atos 15 diz que os gentios devem se abster do que foi contaminado com ídolos, mas alguém vai dizer que "Paulo" disse que o ídolo não é nada, e que por isso podem comer o que for.

Essa suposta contradição, é desfeita a partir do momento que entendemos que o texto diz que não há problema se os gentios comerem alimentos contaminados com ídolos caso o façam por ignorância, mas se souberem, o texto claro, não devem comer.

A bíblia não é um menu, onde escolhe-se o que quer. Ela segue uma cronologia de ensinos onde um ensino não contraria um ensino anterior, no máximo complementa.

Shalom