terça-feira, 4 de setembro de 2007

Galatas 2.14

Shalom !!!

Um texto que eu acho muito curioso é o de Gálatas 2.14, onde Sha'ul relata sobre um pequeno atrito porque Keifá agiu com hipocrisia na frente dos judeus, e a tradução diz que Keifá, que vivia como um "gentio" não poderia requerer dos gentios que vivessem como judeus. Só que tanto no texto grego quanto na tradução para o hebraico existem duas palavras aí:

נכרי - Nakhri - Estrangeiro

גוי - Goy - Gentio

A primeira foi usada quando Sha'ul disse para Keifá que ele vivia como um "gentio", mas a palavra correta não seria essa, mas sim "estrangeiro". Segundo o texto grego, a palavra seria "ethnikos", que apareceria também em Mateus 18.17 quando Yeshua aconselha considerar o irmão que pecou contra ti e se recusa a te ouvir como um "gentio".

Acontece que em Mateus 18.17 no texto hebraico traz a 2ª palavra (goy). Continuando no texto de Gálatas 2.14 vemos que a frase para "vive como gentio" seria em hebraico תתנהג כנכרי - "titnaheg kenakhri" que seria melhor traduzido como "se comporta como um estrangeiro" e não "vive como gentio". Talvez a tradução ficasse mais interessante assim:

"sendo tu judeu, ages como um pagão (por causa da dissimulação) e não como um judeu, por que constranges os gentios a viverem como judeus ?"

Ou seja, que autoridade ele teria para requerer dos que vieram do paganismo que vivessem da forma correta se ele mesmo não havia dado esse testemunho naquele momento ?

Claramente Sha'ul está se referindo à dissimulação de Keifá naquele momento e não a respeito de seu modo de vida, o que pode levar à incorreta interpretação de que Keifá deixou de viver como um judeu para viver como um gentio.

Na mesma frase vemos que Sha'ul indaga o porquê de Keifá "constranger" aos gentios a se "judaizarem", provavelmente por causa do sentimento de "preconceito" que isso transmitia aos gentios.Esse texto é muito usado para se defender que a graça "substitui" a Torah e creio que deve ser mais explorado para extrairmos dele exatamente o contrário, já que a informação verdadeira que o texto traz é contra o preconceito, hipocrisia, e judaização de gentios.

Shalom

3 comentários:

prof disse...

hello
why don't write a letter to a great personnalitie!
i post your letter
shalom
jewisheritage

Bruno Queiroz disse...

Basta ler o contexto que essa interpretação desmorona.

Contato disse...

Bruno Queiróz,

O contexto da Brit Chadashá é o judaísmo, e tudo o que aparentemente se mostra contra a Torah ou o judaísmo deve ser revisto e explicado à luz do contexto original judaico das escrituras. Yeshua era judeu, os discípulos eram judeus, os escritores da Brit Chadashá eram judeus cumpridores da Torah, esse é o contexto!

Shabat shalom